Cientistas Militares, UFOs e Poltergeist no Rancho Mais Maldito dos Estados Unidos

setembro 27, 2018

Por Tony D’Andrea

STILL2-articleLarge-v2

UFO filmado por piloto da U.S. Navy na costa de San Diego, 2004. Liberado em 2018

O Pentágono recentemente confirmou ter investido 22 milhões de dólares na investigação de UFOs. Desde 2007, o “Programa de Identificação de Ameaças Aeroespaciais Avançadas” (AATIP), tinha por objetivo investigar fenômenos ufológicos que regularmente invadem o espaço aéreo norte-americano. Trata-se de uma preocupação de segurança nacional. Com o objetivo de entender esta possível ameaça, o programa governamental foi executado por contratados do setor privado, neste caso, uma equipe de cientistas organizada pelo empresário Robert Bigelow.

Ele já havia comprado o rancho Sherman, mais conhecido como “Skinwalker Ranch”, localizado no interior de Utah. O local havia ficado famoso pela espantosa quantidade de relatos paranormais, ufológicos e cripto-zoológicos. Através da região, fazendeiros e residentes das cidadezinhas próximas relatam ver objetos aéreos, luzes noturnas (orbs), mutilações de animais (gado e cães), bestas extraordinárias, assim como entidades sobrenaturais, teleportação de objetos, e presenças espirituais pavorosas, etc. Ao longo das décadas, estes relatos vêm sendo documentados pela imprensa local, livros e documentários.

skinwalkerranchentry

Entrada unica e guardada do rancho Skinwalker

O nome “skinwalker” é sinistro. Na cultura indígena Navajo, trata-se de entidade sobrenatural malévola que se metamorfoseia entre semi-humano e animal causando medo, doença e morte em quem se aproxima. A entidade é tão maléfica que se deve evitar dizer o nome (ye-naldlushi). Os primeiros registros datam de 1720, com missionários católicos já relatando luzes estranhas e criaturas desconhecidas. Ainda hoje, indígenas da nação Ute que vivem na região creem terem sido amaldiçoados pelos Navajo, seus inimigos históricos, apontando à densa floresta negra.

Xtro-1st-form-3

Skinwalker – criatura sobrenatural da cultura Navajo

Ao longo de 10 anos, os cientistas de Bigelow coletaram centenas de relatos. Doutores com formação em biologia, física e engenharia, eles  são empregados de sua empresa aeroespacial (Bigelow tem contratos com a NASA, Pentágono e o Senado norte-americano). A equipe chegou no rancho em 1996. Entre uma abordagem psico-mediúnica e outra high-tech, optaram por trazer equipamento eletrônico para conduzir uma serie de testes físico-químicos e videográficos. Eles também testemunharam estranhas presenças, que podem acompanhar negativamente visitantes ao saírem do rancho (algo que espiritas brasileiros provavelmente chamariam de assedio ou obsessão espiritual).

A experiencia acumulada serviu posteriormente no projeto militar AATIP. Entretanto, os trabalhos de pesquisa no rancho foram encerrados em 2005, com resultados inconclusivos. Os pesquisadores afirmam não poderem identificar a causa, seja extraterrestre ou natural. Por exemplo, não constaram a presença de nenhuma planta alucinógena (ponto que deveria ser melhor examinado combinado com o solo e clima).

Como um dos cientistas explica: “O método cientifico não é maleável para este tipo de problema não-repetitivo.” Outro colega, um oficial do serviço de inteligência militar, misteriosamente sugere que o  “fenômeno” tem “inteligência preditiva”, para explicar a incapacidade da equipe registrar tais ocorrências objetivamente. Segundo ele, o fenômeno parecia antecipar o que iam fazer a cada passo, assim se esquivando dos testes. “Provocamos experimentos de performance, mas, a cada vez, aconteciam novos padrões, assim inviabilizando cada teste subsequente.” Enfim, a equipe simplesmente não sabe explicar a natureza nem a origem do fenômeno.

Em 2006, Robert Bigelow desativou o grupo de pesquisas e vendeu o rancho para outro empresário também interessado no paranormal. Os dois aparecem no documentário “Hunt for the Skinwalker” (“Caça ao Skinwalker”) lançado recentemente (setembro de 2018). Com a identidade do novo proprietário mantida no anonimato, ambos concederam aos documentaristas o acesso a propriedade e arquivos acumulados ao longo dos anos, ainda que certas experiencias e participantes ainda permaneçam em segredo.

Veja o trailer e comente.

Anúncios