Cientistas Militares, UFOs e Poltergeist no Rancho Mais Maldito dos Estados Unidos

setembro 27, 2018

Por Tony D’Andrea

STILL2-articleLarge-v2

UFO filmado por piloto da U.S. Navy na costa de San Diego, 2004. Liberado em 2018

O Pentágono recentemente confirmou ter investido 22 milhões de dólares na investigação de UFOs. Desde 2007, o “Programa de Identificação de Ameaças Aeroespaciais Avançadas” (AATIP), tinha por objetivo investigar fenômenos ufológicos que regularmente invadem o espaço aéreo norte-americano. Trata-se de uma preocupação de segurança nacional. Com o objetivo de entender esta possível ameaça, o programa governamental foi executado por contratados do setor privado, neste caso, uma equipe de cientistas organizada pelo empresário Robert Bigelow.

Ele já havia comprado o rancho Sherman, mais conhecido como “Skinwalker Ranch”, localizado no interior de Utah. O local havia ficado famoso pela espantosa quantidade de relatos paranormais, ufológicos e cripto-zoológicos. Através da região, fazendeiros e residentes das cidadezinhas próximas relatam ver objetos aéreos, luzes noturnas (orbs), mutilações de animais (gado e cães), bestas extraordinárias, assim como entidades sobrenaturais, teleportação de objetos, e presenças espirituais pavorosas, etc. Ao longo das décadas, estes relatos vêm sendo documentados pela imprensa local, livros e documentários.

skinwalkerranchentry

Entrada unica e guardada do rancho Skinwalker

O nome “skinwalker” é sinistro. Na cultura indígena Navajo, trata-se de entidade sobrenatural malévola que se metamorfoseia entre semi-humano e animal causando medo, doença e morte em quem se aproxima. A entidade é tão maléfica que se deve evitar dizer o nome (ye-naldlushi). Os primeiros registros datam de 1720, com missionários católicos já relatando luzes estranhas e criaturas desconhecidas. Ainda hoje, indígenas da nação Ute que vivem na região creem terem sido amaldiçoados pelos Navajo, seus inimigos históricos, apontando à densa floresta negra.

Xtro-1st-form-3

Skinwalker – criatura sobrenatural da cultura Navajo

Ao longo de 10 anos, os cientistas de Bigelow coletaram centenas de relatos. Doutores com formação em biologia, física e engenharia, eles  são empregados de sua empresa aeroespacial (Bigelow tem contratos com a NASA, Pentágono e o Senado norte-americano). A equipe chegou no rancho em 1996. Entre uma abordagem psico-mediúnica e outra high-tech, optaram por trazer equipamento eletrônico para conduzir uma serie de testes físico-químicos e videográficos. Eles também testemunharam estranhas presenças, que podem acompanhar negativamente visitantes ao saírem do rancho (algo que espiritas brasileiros provavelmente chamariam de assedio ou obsessão espiritual).

A experiencia acumulada serviu posteriormente no projeto militar AATIP. Entretanto, os trabalhos de pesquisa no rancho foram encerrados em 2005, com resultados inconclusivos. Os pesquisadores afirmam não poderem identificar a causa, seja extraterrestre ou natural. Por exemplo, não constaram a presença de nenhuma planta alucinógena (ponto que deveria ser melhor examinado combinado com o solo e clima).

Como um dos cientistas explica: “O método cientifico não é maleável para este tipo de problema não-repetitivo.” Outro colega, um oficial do serviço de inteligência militar, misteriosamente sugere que o  “fenômeno” tem “inteligência preditiva”, para explicar a incapacidade da equipe registrar tais ocorrências objetivamente. Segundo ele, o fenômeno parecia antecipar o que iam fazer a cada passo, assim se esquivando dos testes. “Provocamos experimentos de performance, mas, a cada vez, aconteciam novos padrões, assim inviabilizando cada teste subsequente.” Enfim, a equipe simplesmente não sabe explicar a natureza nem a origem do fenômeno.

Em 2006, Robert Bigelow desativou o grupo de pesquisas e vendeu o rancho para outro empresário também interessado no paranormal. Os dois aparecem no documentário “Hunt for the Skinwalker” (“Caça ao Skinwalker”) lançado recentemente (setembro de 2018). Com a identidade do novo proprietário mantida no anonimato, ambos concederam aos documentaristas o acesso a propriedade e arquivos acumulados ao longo dos anos, ainda que certas experiencias e participantes ainda permaneçam em segredo.

Veja o trailer e comente.

Anúncios

Perguntas e Respostas em Parapsicologia

julho 3, 2010

Por André Percia

– O que é PARAPSICOLOGIA?

Parapsicologia é a ciência que estuda interações anômalas entre organismos que não podem ser explicadas pelas vias sensório-motoras conhecidas exaustivamente descritas pela psicologia e neurofisiologia e tidas como “normais”.

De acordo com o respeitado Psicólogo, pesquisador e escritor Richard Broughton, autor do aclamado livro “Parapsychology”, “Parapsicólogos e seus predecessores que foram chamados pesquisadores psíquicos, resolveram confrontar algumas anomalias da natureza que parecem mais intimamente conectadas com a mente humana. Para fazer isso, conceberam certos constructos como a Percepção Extra-Sensorial (ESP) e a Psicocinesia (PK) como hipóteses para o que pensam estar acontecendo. Desta forma, embarcaram num programa de pesquisa que, indubitavelmente, deve ser a mais longa ativa controvérsia em toda a ciência” (Pág.6).

– Quem pode ser considerado “parapsicólogo”? A parapsicologia é uma profissão?

Essa não é uma pergunta simples de se responder. “Parapsicólogo” é aquele que estuda os fenômenos psi ou paranormais obedecendo a critérios e procedimentos científicos e validados pela Associação Parapsicológica Internacional.

A parapsicologia não é exatamente uma “profissão” convencional, até porque não existe uma graduação convencional internacionalmente reconhecida, embora muitas universidades, inclusive no Brasil, tentaram estruturar uma “faculdade” de parapsicologia. A parapsicologia é uma área de interesse, e os assuntos ou campos desta área têm sido objetos de programas de Pós-Graduação de diversos níveis em muitas universidades de renome mundial, como a J.F. Kennedy, a Universidade de Edinburgh, na Escócia, a Universidade de Andhra, na Índia, a Universidade de Freiburg, na Alemanha entre muitas outras em muitos países.

Estudiosos do assunto fundaram a Associação Parapsicológica (PA) Internacional, e, em nível internacional, considera-se “parapsicólogo” quem é membro desta associação, pois para ser aceito como membro, é necessário que o pesquisador demonstre estar engajado com a abordagem científica do assunto.

No entanto, como não há uma “profissão” ou “formação”, a coisa fica solta. Muitos estudam o assunto, mas não desenvolvem necessariamente um trabalho científico para serem aceitos pela PA e se intitulam “parapsicólogos”.

No geral, há que se verificar se o suposto parapsicólogo está familiarizado com as pesquisas científicas internacionais e se pronuncia de forma ética e responsável dentro de uma abordagem científica sobre o assunto.

– No Brasil, fala-se em correntes “espírita”, “católica” e “científica” da parapsicologia. Qual delas é considerada mais ou menos legítima?

A parapsicologia é uma ciência e, ciência e crenças religiosas são terrenos que não se misturam na elaboração e condução de estudos e pesquisas. Portanto não há sentido em existir uma parapsicologia “espírita”, “católica” ou associada a qualquer religião que seja.

Parapsicólogos podem ter suas crenças pessoais mas jamais – jamais – devem misturá-las com seus estudos, pesquisas e pronunciamentos oficiais enquanto representante da parapsicologia.


Manifesto pela Con-Ciencia

maio 16, 2010

Este espaço é dedicado a pesquisadores independentes do campo paranormal e suas implicações existenciais. Os autores têm formações e opiniões distintas, mas compartilham o interesse em repensar temas de teor paracientífico e espiritualista. Nos inspiramos nas obras de pioneiros como Buda, Sir Burton, Kardec, Fromm, Maslow, Osho, Groff, Vieira, Capra, Seligman, dentre outros. Mas percebemos, com preocupação, certas tendencias fundamentalistas e mercantilistas neste universo. Portanto, entre o espiritualismo e o ceticismo, propomos um trabalho de análise e comentário independentes sobre o campo paracientífico e espiritualista em geral.

Entendemos que uma compreensão adequada deste universo requer um engajamento multidisciplinar. Construindo pontes através das ciências sociais, humanas e artes, buscamos reexaminar diversos saberes, como a parapsicologia, o espiritismo, a projeciologia, o Budismo, ciências noéticas e New Age. Não se trata de ecletismo, mas explorar linguagens e conexões que induzam insights sobre infinitas possibilidades de integrar fins e meios da existência. Propomos visões da multidimensionalidade através da multidisciplinaridade.

É ademais necessário operar uma separação entre ciência e moralismo, confusão vigente no pensamento popular, saberes alternativos e mesmo em psicologias convencionais que refletem ideologias modernas. Paradoxalmente, tal separação é condição para uma percepção cosmoética da existência. Por isso mesmo, enquanto bloggers, nos damos a liberdade para expressar opiniões com base em experiências e preferências pessoais, mas sem a pretensão de transvestí-las como ciência objetiva ou moral. Vamos assim comentar temas diversos, através de perspectivas inusitadas ao mainstream espiritualista.

Em suma, este blog pretende veicular contribuições relevantes, inteligentes e também divertidas aos interessados do campo espiritual. Esperamos que o leitor frequente este espaço e compartilhe suas experiências, pois acreditamos que nossas posições estão abertas à mudança. Entre o espiritualismo e o ceticismo, nossa intenção é resgatar e alavancar uma abordagem crítica e positiva sobre a multidimensionalidade.

Autores de Con-Ciencia